Fio de Ariadne

MEDITAÇÃO NO ENVELHECIMENTO

“O processo de envelhecimento é influenciado por uma sequência de fatos que se originam mesmo antes do nascimento da pessoa. É uma carga conhecida como samskara, nas tradições espiritualistas.

O samskara vai progressivamente aumentando e sua influência na vida da pessoa determina o que ela faz no momento presente. Ou seja, todos os fatos, ‘bons’ ou ‘ruins’que acontecem no dia-a-dia vão sendo acrescentados à carga existente. A conseqüência é que a pessoa vai perdendo autonomia sobre sua própria vida. Ou seja, ela fica pautada por tudo aquilo que aconteceu no tempo passado. Assim, o tempo presente torna-se apenas sequência do tempo passado. E o futuro fica ancorado também nos fatos passados. Ou seja, a pessoa vive apenas em função do próprio passado. Fica enredado como numa teia de aranha.

Mas, como escapar desse círculo destrutivo? Existem métodos meditativos que, se utilizados com sinceridade, ajudam a pessoa a se libertar, paulatinamente das amarras do passado. Se a pessoa envelhece enredada nos seus samskaras, sua saúde pode inclusive ser danificada. Uma vez que o lado material e o espiritual estão intimamente interligados. É a chamada somatização.

Vamos imaginar que uma pessoa, quando criança, recebeu determinada orientação a respeito do consumo de certos alimentos, que seriam nocivos em certas circunstâncias. Sem nenhum embasamento científico, às vezes. Foi uma impressão tão profunda, que a pessoa nunca pensou em questionar a orientação.  Isso pode ter prejudicado seu desenvolvimento até chegar à fase adulta e posterior, a terceira idade. Se a pessoa tentar consumir, poderá realmente fazer mal.

Há também o aspecto comportamental. Alguém disse há muito tempo, que o relacionamento com pessoas homossexuais, por exemplo, não era algo recomendável, muito pelo contrário. Seria mesmo um grave pecado. Mesmo que, na fase adulta, essa pessoa racionalize essa informação, sempre ficará algo no seu íntimo que a acusará de estar se comportando incorretamente. A psicologia pode ajudar a administrar esse comportamento. E a meditação espiritual também ajuda a reduzir esse samskara.

Como reduzir os samskaras? Um método meditativo chamado Heartfulness, propõe uma ação muito simples: a pessoa se recolhe e se propõe a eliminar essas influências acreditando firmemente que essas impressões saem do seu corpo e que o conseqüente vazio no seu coração será preenchido por uma energia cósmica, ou uma luz divina e está ocupando esse vácuo. A noção de pecado deve ser afastada vigorosamente.

Funciona mesmo? É uma questão de fé. Mas com o passar do tempo a pessoa começará a sentir uma calma interior, de nível muito sutil, que é uma característica do processo espiritual. Isto é válido para qualquer faixa etária.

No processo de envelhecimento, a pessoa pode iniciar uma fase de mais conforto mental e espiritual, com reflexo no lado material.

Esse procedimento é utilizado para eliminar as influências ou impressões do dia-a-dia. Com isso, não haverá acúmulo que se some aos samskaras já existentes.

E como tratar esses samskaras acumulados? É um peso que pode ser eliminado aos poucos com o auxílio de um orientador espiritual, tal como acontece quando estamos doentes, neste caso, não vamos procurar um médico? O médico é alguém preparado para ajudar o paciente a se curar, desde que este cumpra seu papel na parceria.

Quando falamos dessas impressões, elas são tanto as chamadas “impressões boas”, como as chamadas “impressões ruins”. Todas elas devem ser eliminadas, pois ambas acabam direcionando nossas vidas. Quanto mais envelhecemos mais ficamos presos ao passado, se não tomarmos cuidado de afastá-las. Um relacionamento tão agradável que tivemos no passado e depois foi interrompido, por qualquer motivo, nunca mais se repetirá. Portanto, como não podemos administrar ou mudar o passado, não podemos modificá-lo, portando o melhor é eliminá-lo. No máximo, podemos guardar aqueles bons momentos apenas no arquivo da memória, mas sem criar apegos – para vivermos no aqui e agora e criarmos condições para um bom futuro, que aliás, é sempre incerto. Lembremos do filósofo Heráclito, que disse que ninguém atravessa um rio duas vezes. Porque num segundo tudo muda, inclusive a pessoa, ainda que sutilmente. Então, as pessoas de terceira idade podem e devem deixar o passado num álbum de recordações, boas ou más, e seguir em frente.

E os momentos ruins, provocados por brigas, rancores, mal-entendidos e coisas semelhantes? Tal como o rio do Heráclito, tudo mudou desde então. As pessoas, as situações e nós mesmos. Então porque alimentar essas recordações? O que ganhamos com isso?

Portanto, a espiritualidade propõe que recomecemos nossas vidas a cada instante, lembrando que todos somos seres humanos, com uma alma, com objetivos próprios e respeitáveis e que estaremos nos desenvolvimento como tais, para deixar de sermos seres humanos humanizados e seguir nos elevando para nos tornarmos seres divinizados.”

José Luis Cardieri

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s